Publicidade infantil: o começo do fim

01/04/2016

"Superior Tribunal de Justiça (STJ) toma decisão histórica e coíbe venda casada de produto dirigido às crianças. [...] Seja por meio da via judicial ou por iniciativa própria, as restrições à publicidade infantil tendem a ser cada vez maiores, como já apontam exemplos vindos dos países mais desenvolvidos. A proteção à infância saudável implica em deixar nossas crianças livres da ganância e de manipulações comerciais, entre outros abusos conhecidos. Com o tempo e a partir de uma idade mais madura, certamente, esses jovens serão capazes de se tornar consumidores mais conscientes e responsáveis. A sociedade como um todo só tem a ganhar com isso", assegura Reinaldo Canto.

A relação entre a escola, a família e a comunidade

30/03/2016

"Diversas pesquisas nacionais e internacionais apontam para o papel das famílias na melhoria da qualidade da educação nas escolas e de seus filhos. [...] As relações distantes e tensas da escola com as famílias ficam expressas nas falas de professores e diretores que reclamam da falta de interesse das mães e pais na educação dos filhos ou na inadequação do comportamento deles. Já para as famílias, a escola representa mais um espaço no qual sentem-se desrespeitadas e invisíveis. Essa situação fez com que, nos últimos tempos, as escolas fossem pressionadas a estabelecer vínculos com as famílias, a assegurar os direitos de todas as crianças e jovens a uma educação ou a mediar processos de conflito e violência das comunidades", assinala Neca Setubal.

Como a escola pode preparar os jovens para a participação da vida pública do país

23/03/2016

"O empoderamento dos jovens depende dos espaços de participação que existem em suas comunidades e das chances que têm para se expressarem e serem ouvidos. As novas tecnologias, como a facilidade para postar vídeos online e de usar as redes sociais, são ferramentas valiosas para uma educação cidadã e para o engajamento juvenil na participação da vida pública. Para tanto, as instituições de ensino têm que se transformar em escolas públicas de fato: democráticas, abertas à comunidade, onde os alunos tenham voz e façam parte ativamente do cotidiano [...] Não se deve primeiro ensinar conteúdos e depois práticas relativas à cidadania, mas trabalhá-los de forma integrada", atesta Maria Alice Setubal.

O lúdico e a criança como protagonista do processo de ensino aprendizagem

21/03/2016

“A criança tem que ser a protagonista de seu processo ensino/aprendizagem. Nessa perspectiva ela é um ser atuante enquanto cidadã, que produz e reproduz cultura, constrói seu conhecimento, ou seja, é o centro do processo educativo. [...] O brincar na Educação Infantil contribui para o desenvolvimento do ser humano, auxiliando na aprendizagem e facilitando no processo de socialização, comunicação, expressão e construção do pensamento”, destaca a psicopedagoga Marcia Ionara Eichstadt Piovezani.

Revolução no ensino médio e a BNCC

18/03/2016

"A proposta de diversificar esse período do ensino, permitindo que os estudantes escolham suas áreas de formação é um avanço. Com isto, a base nacional só ocuparia uma parte do tempo escolar, dando aos estudantes a possibilidade de escolher e se aprofundar numa área de interesse próprio. [...] O ponto central é que os jovens chegam ao ensino médio com diferentes interesses e níveis diferentes de formação, não podem ser todos colocados na camisa de força de um currículo único, e precisam escolher caminhos, com a liberdade de poderem mudar de ideia mais adiante", pontuam Simon Schwartzman e João Batista Araújo e Oliveira, respectivamente, membro titular da Academia Brasileira de Ciências e presidente do Instituto Alfa e Beto.

Páginas

Subscribe to blog.andi.org.br RSS  Feed RSS