24/05/2012

Ética, diversidade de fontes e protagonismo juvenil

Por: 

Equipe ANDI

Os jornalistas devem tirar o Código de Ética da gaveta e fazer dele um instrumento de consulta para a cobertura diária, em especial as que envolvem violência. Essa é uma das recomendações que resultaram do Seminário Direitos em Pauta – Imprensa, Agenda Social e Adolescentes em Conflito com a Lei, que terminou hoje, 24/05, em Brasília.

Jornalistas, Jornalistas Amigos da Criança, especialistas e gestores públicos concluíram que a cobertura da imprensa é pautada por estereótipos quando o assunto é adolescente em conflito com a lei. A conclusão referenda a pesquisa de análise de mídia realizada pela ANDI – Comunicação e Direitos sobre o tema.

Para cumprir as recomendações, os profissionais de comunicação deveriam considerar os direitos humanos e o contexto dos fatos reproduzidos. Além disso, buscar a diversidade de fontes, ao invés de se basear apenas no relato policial. Outra sugestão presente nos grupos de estudo é a de dar voz aos adolescentes, que devem, ainda, ser tratados como sujeitos de direitos.

A internet, segundo a análise de um dos grupos de trabalho, apesar de ser uma nova plataforma para a mídia, repete as velhas fórmulas da mídia tradicional, mantendo o monopólio da informação nas mãos de grandes portais.

Acompanhe a partir de amanhã, as matérias com todo o conteúdo dos debates.

As apresentações utilizadas por especialistas, jornalistas e gestores estão disponíveis no site www.direitosempauta.andi.org.br, na aba de downloads. Confira também a galeria de fotos do evento.   

Tags: 

  • Cidadania
  • Direitos e Justiça
  • ECA
  • Medidas Socioeducativas
  • Políticas Públicas
  • Violência