11/04/2013

Infância e Comunicação: um debate prioritário

Por: 

Equipe ANDI

As discussões em torno do tema Infância e Comunicação no Brasil estão longe de serem esgotadas. Garantir um ecossistema midiático saudável é um desafio que necessita da participação da Sociedade e do Governo. Defender, sobretudo, o direito de crianças e adolescentes ao desenvolvimento intelectual pleno passa por protegê-los da exposição a conteúdos nocivos.

Esses e outros debates que pautaram o Seminário Internacional Infância e Comunicação, realizado entre os dias 6 e 8 de março em Brasília, estiveram presentes na entrevista que o secretário executivo da ANDI, Veet Vivarta, concedeu à revistapontocom.

"A infância não é vista como prioridade no Brasil. Falo por mim e pelos depoimentos, estudos e conceitos que foram emitidos no seminário. Para Frank William La Rue, relator das Nações Unidas para a Liberdade de Opinião e Expressão, presente ao encontro, não há como garantir liberdade de expressão, na contemporaneidade, se você somente privilegia os interesses comerciais. Não é possível organizar um ecossistema midiático pautado por princípios democráticos tomando em consideração apenas os interesses das empresas. Eles devem ser contemplados. Mas se passam a dominar os demais, temos aí um grave comprometimento".

O seminário foi realizado pela ANDI - Comunicação e Direitos em parceria com a Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNPDCA), da Secretaria de Direitos Humanos (SDH); a Secretaria Nacional de Justiça (SNJ), do Ministério da Justiça (MJ); e o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), além de contar com o patrocínio da Petrobras e apoio da Fundação Ford.

Leia a entrevista

Tags: 

  • Cidadania
  • ECA
  • Políticas de Comunicação
  • Classificação Indicativa
  • Publicidade Infantil
  • Políticas Públicas