20/11/2012

Polícia Federal vai investigar envenenamento de água em território indígena

Por: 

Cristina Sena

O Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul determinou que a Polícia Federal instaure inquérito para averiguar denúncia de envenenamento do córrego Ypo’i. Localizado em Paranhos, na fronteira do estado com o Paraguai, o riacho é a principal fonte de água de indígenas Guarani Kaiowá.


De acordo com os indígenas, fazendeiros da região teriam jogado veneno na água no último dia 14. Um vídeo divulgado no dia 16 mostra uma espuma branca sobre a superfície do córrego.




Em matéria publicada no site do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), a comunidade responsabiliza os fazendeiros locais pela ação. "Nós seguimos a trilha do riacho até a fazenda, onde vimos dois tambores grandes. Não sabemos o que era. A gente foi pra tirar foto, mas fomos recebidos a bala. Começaram a atirar pra cima e saímos correndo".


O Ministério Público também entregou à polícia amostra d’ água contaminada e o vídeo feito pelas lideranças indígenas. Os responsáveis podem ser enquadrados pelos crimes 270 e 271 do Código Penal, que tratam do envenenamento e poluição de água potável. Somadas, as penas podem chegar a 20 anos de reclusão.


A Coordenação Regional da Funai em Ponta Porã (MS) acompanha o caso e acionou a Polícia Militar Ambiental, assim como o Instituto de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul (Imasul) e o Ministério Público Federal.


Os danos ao meio ambiente só poderão ser mensurados após o resultado da análise da amostra de água, pois ainda não se sabe qual substância foi jogada na água.


Para mais informações, leia a matéria publicada no site do Cimi.

Tags: 

  • Direitos e Justiça
  • Direitos Humanos
  • Etnia