Cidadania

Como tratar de política com as crianças?

13/04/2016

"Os adolescentes e jovens também precisam de apoio e orientações em momentos políticos e sociais tão conturbados. Para eles, o exercício da cidadania implica autonomia, empoderamento e participação. O desejo de agir junto à sociedade é expresso por muitos jovens na criação de coletivos, escolas de ativismo e movimentos que cobram transparência da ação pública e buscam intervir na política. É importante que todas essas ações encontrem espaços dentro da escola. [...] Um bom começo pode ser a implementação de grêmios dentro das escolas, de projetos de educomunicação ou ainda o incentivo à criação de intervenção nos problemas da comunidade", destaca a educadora Neca Setubal.

Como lutar por um Brasil mais ético e justo?

05/04/2016

"Cabe a nós, sociedade civil, buscar conhecimentos e informações para debater e dialogar com o setor público e os demais segmentos comprometidos e envolvidos com a educação, contribuindo para a construção de políticas que beneficiem efetivamente todos os alunos brasileiros. Dentro de um contexto de crise econômica e política, somente o amplo diálogo sustentará nossas conquistas e, ao mesmo tempo, nos guiará por novos caminhos que garantam avanços sociais e ambientais sustentáveis", afirma Maria Alice Setubal.

A relação entre a escola, a família e a comunidade

30/03/2016

"Diversas pesquisas nacionais e internacionais apontam para o papel das famílias na melhoria da qualidade da educação nas escolas e de seus filhos. [...] As relações distantes e tensas da escola com as famílias ficam expressas nas falas de professores e diretores que reclamam da falta de interesse das mães e pais na educação dos filhos ou na inadequação do comportamento deles. Já para as famílias, a escola representa mais um espaço no qual sentem-se desrespeitadas e invisíveis. Essa situação fez com que, nos últimos tempos, as escolas fossem pressionadas a estabelecer vínculos com as famílias, a assegurar os direitos de todas as crianças e jovens a uma educação ou a mediar processos de conflito e violência das comunidades", assinala Neca Setubal.

Como a escola pode preparar os jovens para a participação da vida pública do país

23/03/2016

"O empoderamento dos jovens depende dos espaços de participação que existem em suas comunidades e das chances que têm para se expressarem e serem ouvidos. As novas tecnologias, como a facilidade para postar vídeos online e de usar as redes sociais, são ferramentas valiosas para uma educação cidadã e para o engajamento juvenil na participação da vida pública. Para tanto, as instituições de ensino têm que se transformar em escolas públicas de fato: democráticas, abertas à comunidade, onde os alunos tenham voz e façam parte ativamente do cotidiano [...] Não se deve primeiro ensinar conteúdos e depois práticas relativas à cidadania, mas trabalhá-los de forma integrada", atesta Maria Alice Setubal.

Alunos de escolas públicas buscam respostas para o amanhã

17/03/2016

"O Prêmio Respostas para o Amanhã envolve toda a classe, apostando que podem aprender quando há professores engajados e jovens mobilizados e abertos ao diálogo. [...] A abertura da escola para a comunidade amplia os espaços de aprendizagem e enriquece as experiências educativas. As soluções apresentadas no concurso são muitas vezes simples, mas contribuem para uma vida mais sustentável e para a construção de vínculos entre a escola e a comunidade, criando o sentimento de pertencimento desses jovens ao lugar onde vivem. A comunidade, por sua vez, passa a reconhecer e a valorizar a escola como uma importante instituição na produção de conhecimento para a resolução de seus problemas", afirma Maria Alice Setubal.

Páginas

Subscribe to RSS - Cidadania  Feed RSS