Cidadania

Por que a escola particular não é melhor que a pública

25/02/2016

"Há escolas públicas que adicionam a mesma aprendizagem ou até mais do que as privadas, mas, ainda assim os resultados são menores, porque o ponto de partida é diferente. Por isso, temos que parar de estigmatizar a escola pública com o rótulo de pior que a particular. Precisamos apoiar as famílias dos 40 milhões de alunos da escola pública (que são mais de 80% do total de estudantes da Educação Básica) com oportunidades educativas além da escola, como mais acesso a bens culturais, a leitura e a novos repertórios de conhecimento. Essa é uma frente que não podemos ignorar para avançarmos na qualidade da educação pública do País", afirma Priscila Cruz.

Literatura na Educação Infantil: acervos, espaços e mediações

23/02/2016

“O contato com a literatura pode oferecer às crianças, desde a mais tenra idade, o material simbólico inicial para que possam ir descobrindo não apenas quem elas são, mas também quem elas querem e podem ser”. Projeto Leitura e Escrita na Educação Infantil, parceria entre MEC e as universidades UFMG, UFRJ e UNIRIO, lança publicação que expõe a importância da literatura para as crianças menores de seis anos e o papel da Educação Infantil na formação de leitores. O e-book é uma coletânea dos textos apresentados no Seminário Internacional Literatura na Educação Infantil: acervos, espaços e mediações, primeiro grande evento do projeto, realizado em 2014, em Belo Horizonte.

Direito de brincar e de aprender

22/02/2016

"O debate público sobre o papel e a função da educação infantil no Brasil tem sido marcado por uma falsa dicotomia entre o direito de brincar e o de aprender. Em primeiro lugar, deve-se ressaltar que, no campo dos direitos, não há concorrência nem sobreposição, mas complementaridade. Também é consenso que a educação infantil é uma política poderosa no enfrentamento das desigualdades. Assegurá-la, com qualidade, a todas as crianças é uma das principais metas que o país precisa urgentemente concretizar. A tarefa não é simples e exige um amplo esforço do Estado e de toda a sociedade", afirma Maria Alice Setubal.

Construindo uma cultura da ética para as infâncias

18/02/2016

"A partir do momento em que começa-se a ter consciência da importância de  escutar e observar crianças nos seus contextos e territórios cotidianos espontâneos, sem a interferência dos adultos, instaura-se o desafio de uma mudança de postura ética e metodológica: não mais partir das verdades ‘universalmente instauradas’ pelo mundo adulto à respeito das crianças; mas considerar e aprender a escutar e a decifrar o que as crianças vivem, sentem e pensam, a partir das suas próprias vozes", assinala Adriana Friedmann.

O cruel mercado infantil de talentos na TV

28/01/2016

"Habilidades expressas ainda na infância, que estamos chamando aqui também de talentos, não devem ter relação com o mercado que transforma tudo em objeto de compra e venda. Sem cuidado e senso crítico, a televisão, mídia que diverte e educa, pode ser devoradora de audiências e assim devorar, de garfo e faca, aqueles que nela trabalham. No caso das crianças, esse sucesso rápido, gerado apenas pela visibilidade em 65% dos lares brasileiros, já pode ser responsável por expectativas e fantasias de grandeza que são cruéis [...] Crianças têm que brincar e estudar, não trabalhar nem precisar ganhar dinheiro para sustentar as suas famílias. Cabe aos adultos proteger, cuidar e educar com amor, ser mais amigo e menos o empresário de suas crianças", pontua a professora Maria Inês Delorme.

Páginas

Subscribe to RSS - Cidadania  Feed RSS