Cidadania

Como a escola pode preparar os jovens para a participação da vida pública do país

23/03/2016

"O empoderamento dos jovens depende dos espaços de participação que existem em suas comunidades e das chances que têm para se expressarem e serem ouvidos. As novas tecnologias, como a facilidade para postar vídeos online e de usar as redes sociais, são ferramentas valiosas para uma educação cidadã e para o engajamento juvenil na participação da vida pública. Para tanto, as instituições de ensino têm que se transformar em escolas públicas de fato: democráticas, abertas à comunidade, onde os alunos tenham voz e façam parte ativamente do cotidiano [...] Não se deve primeiro ensinar conteúdos e depois práticas relativas à cidadania, mas trabalhá-los de forma integrada", atesta Maria Alice Setubal.

Alunos de escolas públicas buscam respostas para o amanhã

17/03/2016

"O Prêmio Respostas para o Amanhã envolve toda a classe, apostando que podem aprender quando há professores engajados e jovens mobilizados e abertos ao diálogo. [...] A abertura da escola para a comunidade amplia os espaços de aprendizagem e enriquece as experiências educativas. As soluções apresentadas no concurso são muitas vezes simples, mas contribuem para uma vida mais sustentável e para a construção de vínculos entre a escola e a comunidade, criando o sentimento de pertencimento desses jovens ao lugar onde vivem. A comunidade, por sua vez, passa a reconhecer e a valorizar a escola como uma importante instituição na produção de conhecimento para a resolução de seus problemas", afirma Maria Alice Setubal.

Uma olimpíada em que todos ganham

02/03/2016

"A escrita só faz sentido no seu uso social e não para cumprir uma tarefa para o professor, nem como algo que tem que ser chato, mas sim como um instrumento de expressão, de registro de experiências e de mobilização de forças. Descobrir que as palavras têm força, que todos têm o que dizer, que é possível participar ativamente da sociedade, são aprendizados que a Olimpíada [de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro] proporciona e que cada criança e jovem leva ao longo de sua vida", afirma Maria Alice Setubal.

Por que a escola particular não é melhor que a pública

25/02/2016

"Há escolas públicas que adicionam a mesma aprendizagem ou até mais do que as privadas, mas, ainda assim os resultados são menores, porque o ponto de partida é diferente. Por isso, temos que parar de estigmatizar a escola pública com o rótulo de pior que a particular. Precisamos apoiar as famílias dos 40 milhões de alunos da escola pública (que são mais de 80% do total de estudantes da Educação Básica) com oportunidades educativas além da escola, como mais acesso a bens culturais, a leitura e a novos repertórios de conhecimento. Essa é uma frente que não podemos ignorar para avançarmos na qualidade da educação pública do País", afirma Priscila Cruz.

Literatura na Educação Infantil: acervos, espaços e mediações

23/02/2016

“O contato com a literatura pode oferecer às crianças, desde a mais tenra idade, o material simbólico inicial para que possam ir descobrindo não apenas quem elas são, mas também quem elas querem e podem ser”. Projeto Leitura e Escrita na Educação Infantil, parceria entre MEC e as universidades UFMG, UFRJ e UNIRIO, lança publicação que expõe a importância da literatura para as crianças menores de seis anos e o papel da Educação Infantil na formação de leitores. O e-book é uma coletânea dos textos apresentados no Seminário Internacional Literatura na Educação Infantil: acervos, espaços e mediações, primeiro grande evento do projeto, realizado em 2014, em Belo Horizonte.

Páginas

Subscribe to RSS - Cidadania  Feed RSS