Políticas Públicas

A importância da escolaridade materna na educação dos filhos

02/08/2016

"Diversos estudos mostram como uma maior escolaridade por parte das mães tem um impacto positivo na vida de seus filhos, influenciando em questões como a saúde e desenvolvimento físico e motor das crianças até seu desenvolvimento intelectual e suas habilidades cognitivas. [...] Entender o território, suas características sociais, econômicas e culturais faz muita diferença para que as crianças e jovens possam alcançar bons índices de aprendizagem. Muitas vezes, a escola não conhece as condições de vida de seus alunos e não reconhece os esforços dessas mães. Assim, acaba criando barreiras que afastam os pais das escolas. A busca por uma educação de qualidade para todos passa por vários fatores, e a participação dos pais é um deles. Por isso, a escola deve valorizar o esforço desses pais e mães pela educação de seus filhos", ressalta Neca Setubal.

Como entender o jovem e sua relação com a escola?

29/07/2016

"Políticas de educação integral ou de educação profissional têm atraído os alunos para a escola e resultado em melhores índices de aprendizagem nas avaliações nacionais. No entanto, tais políticas ainda são restritas a uma minoria dos estudantes brasileiros. As ocupações de alunos secundaristas nos colégios, que aconteceram recentemente, também revelaram que os jovens não apenas querem frequentar aqueles espaços, mas desejam uma escola que esteja conectada com o mundo contemporâneo. Para exemplificar esta demanda, eles organizaram aulas e oficinas sobre temas relativos a cultura, cidadania, direitos humanos, artes e comunicação. O debate sobre o ensino médio precisa incluir uma profunda reflexão sobre as juventudes. [...] Os jovens precisam se sentir empoderados para assumirem a responsabilidade por sua própria jornada de aprendizagem", destaca Neca Setubal.

Queremos uma educação voltada para o mercado ou para a inclusão?

26/07/2016

"Docentes precisam ter em mente as diversas necessidades e os desafios que os estudantes podem enfrentar... Todos os alunos podem se beneficiar de estratégias de ensino que são criadas a partir de um conceito de desenho universal de aprendizagem. [...] A educação que precisamos não deve se contentar com a formação de pessoas que se limitam a seguir as regras do jogo e a enxergar o mundo tal como o herdamos. Precisamos buscar um tipo de educação que nutra o desenvolvimento de cidadãos críticos e incomodados. Isso implica considerarmos a formação de seres humanos capazes de romper com visões dicotômicas e de interferir positivamente na complexa tessitura de uma sociedade coesa e igualitária", afirma Rodrigo Hübner Mendes.

O impacto de bons professores no aprendizado dos alunos

21/07/2016

"Temos afirmado que a qualidade da nossa educação tem relação direta com a qualidade de nossos professores. Um estudo americano, publicado na revista britânica "The Economist", demonstra que em um único ano os professores tidos como os 10% melhores impactam três vezes mais a aprendizagem dos alunos que os 10% piores. [...] A educação ainda é um desafio na sociedade contemporânea. Em um país como o Brasil, onde ainda não alcançamos níveis básicos na qualidade da aprendizagem de nossas crianças e jovens, negligenciar a formação dos professores é um risco de não só não avançarmos nos indicadores como comprometermos ainda mais as atuais e futuras gerações", assinala a socióloga e educadora Maria Alice Setubal.

A educação de jovens e adultos chega apenas a 5% do público ao qual se destina

05/07/2016

O educador Roberto Catelli Jr. afirma que o país ainda não sabe como lidar com o analfabetismo funcional que atinge quase um terço da população brasileira. "Para que se possa efetivamente avançar na redução dessa grande dívida social do país, portanto, é necessário que se caminhe na construção de novos paradigmas para a modalidade, com formas de atuação e currículos próprios que estejam de acordo com as demandas pessoais e profissionais de jovens e adultos que retornam à escola. [...] Por fim, a política pública de educação precisa deixar de colocar em lados opostos a educação de crianças e adolescentes e a de jovens e adultos, pois estudos como o Inaf mostram que o nível de alfabetismo dos filhos tem relação direta com o nível de escolaridade dos pais, ou seja, é preciso pensar numa educação que considere toda a família, e não apenas as crianças".

Páginas

Subscribe to RSS - Políticas Públicas  Feed RSS